Neste trabalho busca-se relatar a experiência de pouco mais de dois anos do programa de rádio Saúde com Ciência, da Universidade Federal de Minas Gerais. Sob o slogan “A informação a serviço da qualidade de vida”, adotou-se o estilo jornalístico como forma de expor o conhecimento científico sobre saúde produzido na universidade pública diretamente ao cidadão comum. O objetivo esperado é que desta forma este público tenha acesso a informações úteis, apresentadas de uma forma curiosa e bem humorada, com vocabulário simples, e que tratem de questões por vezes complexas relativas à promoção da saúde, prevenção de doenças, hábitos, direitos, normas de funcionamento do Sistema Público de Saúde, deveres, cidadania, conceitos e comportamentos saudáveis. Por sua vez, esperamos que a partir dessa conscientização cidadã o ouvinte possa se posicionar melhor na busca pelo seu bem-estar próprio, de sua família ou comunidade, comportando-se como sujeito ativo do processo de promoção de sua saúde. Que ele possa compreender por que saúde é mais do que a “não doença”, assim como outros aspectos relativos aos determinantes da saúde. O programa é produzido na forma de série temática composta por cinco programas de curta duração, “pílulas”, com cerca de quatro minutos cada, e veiculado na rádio UFMG Educativa e em rede de rádios conveniadas do interior do estado de Minas Gerais, no Brasil. A programação também pode ser acessada em tempo real pela internet, na página www.medicina.ufmg.br/radio. Neste mesmo sítio é possível consultar as edições anteriores. Atualmente o programa é veiculado em 20 rádios, incluindo a rádio universitária (UFMG Educativa 104,5 FM). Uma das próximas ações a serem iniciadas brevemente é a busca e identificação de novas rádios interessadas em também veicular o programa, sem ônus para ambas as partes. Um importante divulgador deste trabalho se baseia na ação de transcrever as perguntas e respostas veiculadas no programa e publicá-las em dois jornais impressos locais: Super Notícia, tablóide com uma das maiores tiragens do Brasil, e Jornal O Tempo, distribuídos na região metropolitana de Belo Horizonte. Um problema tem sido a baixa participação espontânea do público na produção dos futuros programas.

">
 [PCST]
PCST Network

Public Communication of Science and Technology

 

Saúde, educação, cidadania, jornalismo cientifico, popularização da ciência

Marcus Vinicius dos Santos   UFMG

Cláudia Regina Lemos   UFMG

Neste trabalho busca-se relatar a experiência de pouco mais de dois anos do programa de rádio Saúde com Ciência, da Universidade Federal de Minas Gerais. Sob o slogan “A informação a serviço da qualidade de vida”, adotou-se o estilo jornalístico como forma de expor o conhecimento científico sobre saúde produzido na universidade pública diretamente ao cidadão comum. O objetivo esperado é que desta forma este público tenha acesso a informações úteis, apresentadas de uma forma curiosa e bem humorada, com vocabulário simples, e que tratem de questões por vezes complexas relativas à promoção da saúde, prevenção de doenças, hábitos, direitos, normas de funcionamento do Sistema Público de Saúde, deveres, cidadania, conceitos e comportamentos saudáveis. Por sua vez, esperamos que a partir dessa conscientização cidadã o ouvinte possa se posicionar melhor na busca pelo seu bem-estar próprio, de sua família ou comunidade, comportando-se como sujeito ativo do processo de promoção de sua saúde. Que ele possa compreender por que saúde é mais do que a “não doença”, assim como outros aspectos relativos aos determinantes da saúde. O programa é produzido na forma de série temática composta por cinco programas de curta duração, “pílulas”, com cerca de quatro minutos cada, e veiculado na rádio UFMG Educativa e em rede de rádios conveniadas do interior do estado de Minas Gerais, no Brasil. A programação também pode ser acessada em tempo real pela internet, na página www.medicina.ufmg.br/radio. Neste mesmo sítio é possível consultar as edições anteriores. Atualmente o programa é veiculado em 20 rádios, incluindo a rádio universitária (UFMG Educativa 104,5 FM). Uma das próximas ações a serem iniciadas brevemente é a busca e identificação de novas rádios interessadas em também veicular o programa, sem ônus para ambas as partes. Um importante divulgador deste trabalho se baseia na ação de transcrever as perguntas e respostas veiculadas no programa e publicá-las em dois jornais impressos locais: Super Notícia, tablóide com uma das maiores tiragens do Brasil, e Jornal O Tempo, distribuídos na região metropolitana de Belo Horizonte. Um problema tem sido a baixa participação espontânea do público na produção dos futuros programas.

A copy of the full paper has not yet been submitted.

BACK TO TOP